O estado de Mato Grosso realizou em 2021 quase R$ 1,8 bilhões em contratações com recursos do Fundo Constitucional de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FCO), de acordo com levantamento do primeiro semestre deste ano.

Esses números equivalem a 66% de aumento em comparação ao mesmo período do ano passado. O setor do agronegócio continua sendo o principal tomador de crédito, garantindo a geração e a manutenção de 124 mil empregos diretos e indiretos.

Até o mês de junho, já foram financiados mais de R$ 1,3 bilhão pelo FCO Rural, em 1.636 contratações, o que representa 72% dos recursos empregados pelo Fundo no estado.
Deste montante, cerca de R$ 116 milhões foram contratados por tomadores mato-grossenses da Planície Pantaneira. Lembrando que em 2021, parte dos recursos do Fundo foi destinada à região como forma de apoio às atividades afetadas pela estiagem e pelas queimadas no Pantanal.

Já o setor empresarial aparece com R$ 491 milhões em financiamentos, sendo responsável pela utilização de 28% dos recursos do Fundo no estado, com um total de 717 contratações, gerando ou mantendo, aproximadamente 43 mil empregos diretos e indiretos. Deste valor, R$ 65 milhões foram destinados aos empresários da Planície Pantaneira.

Os setores que mais contrataram pelo FCO Empresarial foram os segmentos de Comércio e Serviços e CT&I, com R$ 268 milhões, seguido da área de Infraestrutura com R$ 167 milhões. Estes setores correspondem a 91% das contratações empresariais.

O FCO é administrado pela Sudeco, em conjunto com o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) e o Banco do Brasil, tendo como uma de suas responsabilidades definir as diretrizes e prioridades do Fundo, em prol do desenvolvimento regional e da mitigação das desigualdades socioeconômicas do Centro-Oeste.

Fonte: Olhar Direto