O número de focos de calor em Mato Grosso neste ano é 54% menor do que ano passado. No Pantanal, a redução é ainda maior: são 592 focos de calor neste ano, contra 10.102 de 2020, uma redução de 94,14%.

Os dados são do Corpo de Bombeiros, de 1º de janeiro a 14 de setembro deste ano em relação ao mesmo período de 2020.

A redução foi registrada em todos os biomas do estado. Na Amazônia mato-grossense a queda foi de 31,73%, enquanto no Cerrado esse número foi de 44,87%.

Os dados constam no Informativo 20 de Focos de Calor do Batalhão de Emergências Ambientais, que foi apresentado nesta quinta-feira (16.09), durante a reunião do Gabinete de Gestão Integrada (GGI) Pleno da Secretaria de Estado de Segurança Pública, que reúne todos os dirigentes dos órgãos de Segurança Pública.

Os investimentos realizados para o combate a temporada de incêndios florestais em Mato Grosso ultrapassaram R$ 70 milhões em equipamentos, veículos e a contratação de 100 brigadistas, dentre outras medidas do Governo de Mato Grosso, que possibilitaram uma estrutura maior do Corpo de Bombeiros.

A antecipação do período proibitivo para 1º de julho também foi um diferencial para o resultado deste ano.

Na região do Pantanal foram implantadas mais duas unidades do Corpo de Bombeiros em Santo Antônio de Leverger e Poconé, que também fizeram a diferença para uma resposta mais rápida aos incêndios.

Neste ano, a maioria dos focos de calor estão concentrados no bioma da Amazônia, que representa 60,9% dos focos de calor.

A Amazônia ocupa 53,5% do território de Mato Grosso. Em seguida, 35,3% dos focos de calor estão no Cerrado, presente em 39,7% do território estadual. Por último, 3,8% dos focos estão no Pantanal, que corresponde a 6,8% da área de Mato Grosso.

As propriedades rurais são as que mais apresentam casos de focos de calor, com 73,9% dos 15.828 registrados este ano, até 14 de setembro.

Em seguida, estão as Terras Indígenas com 18,3% dos casos. Depois vem assentamentos com 4,5% e as unidades de conservação com 3,3%.

Os municípios de Colniza, Paranatinga, Aripuanã, Gaúcha do Norte, Juara, São Félix do Araguaia, União do Sul, Nova Nazaré, Campinápolis e Canarana são os dez com mais casos de focos de calor em Mato Grosso.

Fonte: G1 Mato Grosso