Em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, o preço também teve uma redução e está variando entre R$ 2,49 e R$ 2,79.

O preço em Tangará da Serra, a 242 km da capital, também teve redução de R$ 0,25, em média. Nesta semana, o etanol está sendo comercializado a R$ 2,54 em alguns postos.

Já em Sinop, a 503 km de Cuiabá, a média de preço continua a mesma. No município, o litro normalmente é vendido a R$ 2,79.

O diretor executivo do Sindalcool, Jorge Santos , ressaltou que a redução de preço nas bombas dos postos é reflexo do baixo custo dos insumos usados na produção.

“A safra está maior, mas esse não é o principal aspecto. A questão é o custo, se há uma redução de custo nos insumos, reduz o preço de fabricação e não há porque não chegar com um menor preço ao consumidor”, explicou.

A gerente de um posto de combustível, em Cuiabá, Welida Cristina Cordeiro, contou que as vendas aumentaram e os clientes estão aproveitando o valor para encher o tanque.

“De R$ 10 e R$ 20 agora as pessoas pedem para completar o tanque. Tivemos uma diminuição nos preços na usina, então nós conseguimos passar esse valor mais acessível ao consumidor”, disse.

O motorista de aplicativo, Graciliano Neto, disse que também está aproveitando a redução no preço do combustível para abastecer o carro que usa para trabalhar.

“Tudo gira em torno do combustível e, quanto mais acessível tiver os preços, melhor para o consumidor”, ressaltou.

Etanol de milho

O etanol de milho também tem ganhado espaço no estado e pode contribuir para uma redução de preço nas bombas. Segundo dados da União Nacional do Etanol de Milho (Unem), atualmente, cinco usinas já estão em operação, em Mato Grosso.

Somente neste ano, a previsão é que seja produzido 1,1 bilhão de litros de etanol a partir do cereal. “A quantidade produzida será além da necessidade do consumo interno no estado”, disse Jorge.

Fonte: Folhamax