Servidores da Secretaria Estadual de Saúde (SES) se reuniram em assembleia-geral na manhã desta segunda-feira (10) e declararam apoio à greve dos profissionais da Educação deflagrada no dia 27 de maio. Com isso, ficou decidido que eles vão participar de um ato público unificado marcado para as 16h desta segunda-feira na frente da Escola Estadual Presidente Médici, em Cuiabá.

Também foi deliberado na assembleia-geral que na próxima sexta-feira (14), será feita uma paralisação das atividades na área da saúde em apoio e participação na greve geral em defesa do ensino público e contra a Reforma da Previdência.

A informação é do sindicalista Oscarlino Alves, presidente do Sindicato dos Servidores da Saúde de Mato Grosso (Sisma-MT). Conforme ele, além de servidores da Capital, a assembleia-geral contou com a participação de trabalhadores de outras cidades do interior que se deslocaram em caravanas para a Capital.

FOLHAMAX questionou o sindicalista se a participação de servidores da Saúde no ato desta segunda-feira, convocado pelos professores que estão greve não comprometerá os atendimentos nas unidades de saúde de Cuiabá e Várzea Grande. Ele não deu um posicionamento.

O ato unificado na tarde desta segunda-feira promete reunir servidores de diferentes segmentos do funcionalismo público que estão insatisfeitos com as medidas anunciadas pelo Governo do Estado, como o não pagamento da Revião Geral Anual (RGA) bem como o não cumprimento de leis aprovadas em gestões passadas garantindo recomposição inflacionária nos salários.

Dessa forma, o Sindicato dos Servidores Penitenciários de Mato Grosso (Sindspen-MT) também confirmou participação no ato unificado e vem mobilizando a categoria para que participe da manifestação. Na pauta, o Sindspen elenca alguns pontos como escalonamento dos salários decidido pelo governador Mauro Mendes (DEM), “que se nega em dialogar com o Fórum Sindical, para juntos informar aos servidores públicos sobre sua real intenção”. Cita o 13º que era pago no mês em que o servidor público completava aniversário, mas na atual gestão, segundo o sindicato, não há qualquer informação de como será pago.

O Sindspen-MT também já confirmou participação no ato Unificado da próxima sexta-feira (14) contra a proposta da Reforma da Previdência, que segundo a entidade sindical, penaliza o servidor público do Poder Executivo. A concentração será na frente da Praça Alencastro, a partir das 14h.

Fonte: Folhamax