O secretário de Estado de Educação, Alan Porto, afirmou nesta terça-feira (13) que está mantida para o dia 3 de agosto a retomada das aulas presenciais nas escolas da rede estadual de ensino, no sistema híbrido.

 

De acordo com o gestor, a orientação dada pelo governador Mauro Mendes (DEM) é para que a Pasta dê sequência ao planejamento elaborado ao longo dos últimos seis meses. Porto salientou que o calendário já foi divulgado para a rede e já houve reuniões com os municípios.

 

“Agora em agosto, depois do recesso escolar, a nossa previsão é retornar atividades presenciais com 50% de funcionamento dentro da sala de aula, visando recuperar a aprendizagem dos estudantes”, disse.

 

“Estamos bem seguros dessa decisão. Entendemos que é o momento de voltar, que precisa voltar. Estamos falando de um ano e meio de escolas fechadas. E aulas remotas não são a mesma coisa [que aulas presenciais]”, acrescentou.

No final de junho deste ano, a Assembleia Legislativa derrubou o veto do governador ao trecho de um projeto que libera o retorno às aulas presenciais apenas após a imunização de todos os profissionais da Educação contra a Covid-19.

 

Segundo Porto, o Governo priorizou a vacinação desses servidores e a informação obtida por ele junto à Secretaria de Estado de Saúde é de que, em quase todos os municípios, praticamente todos os profissionais receberam pelo menos a primeira dose.

 

“E ela já tem uma imunização significativa”, salientou.

 

“Não é justo que o filho do trabalhador, das pessoas que pagam impostos, fique dentro de casa sem condições de ir para a escola, enquanto os filhos da classe média ou mais rica está tendo aulas na escola particular, aumentando ainda mais essa desigualdade social”, argumentou.

 

Protocolos

 

Segundo o secretário, 27 municípios já retomaram as aulas presenciais na modalidade híbrida e não houve aumento da curva de contaminação, o que comprovaria que as salas de aula são ambientes seguros, desde que respeitados todos os protocolos de biossegurança.

 

Ele afirmou que todas as escolas receberam recursos e que vistoriou algumas unidades do Estado, verificando in loco que as normas – como aferição de temperatura e aplicação de álcool em gel na entrada das escolas, bem como a demarcação das carteiras – estavam sendo aplicadas.

 

“As unidades estão preparadas e os protocolos não são novidade para ninguém. Há condições, sim, de lecionar as aulas respeitando todos esses protocolos e entendemos que o ambiente escolar é um ambiente seguro”, disse.

Fonte: Midia News