A mato-grossense Ana Sátila fez história ao ir à final feminina do C1 na canoagem slalom, sendo a primeira mulher do país a ir a uma decisão na canoagem slalom, mas não conseguiu ganhar medalhas olímpicas em Tóquio. A atleta terminou na última posição na final da prova, com a marca de 164s71 na sua descida, e recebeu duas punições por não passar pelas balizas do canal, totalizando uma penalidade de 52 segundos que a deixou fora da disputa. A prova aconteceu na madrugada desta quinta (29), no Centro de Canoagem Slalom Kasai.

''Estou muito triste, muito decepcionada. Estava me sentindo tão bem antes da final, preparada, feliz. Dei meu melhor. A penalidade que eu tive foi em tentar alcançar a medalha porque eu sabia que eu já tinha cometido alguns erros. Estava tentando melhorar. A penalidade me ofuscou muito. Estou entre as dez dos Jogos Olímpicos, mas tenho muito o que revisar e aprender", disse ao SporTV.

Ana Sátila perdeu 2s numa primeira penalidade na porta 7, e depois perdeu a porta 22, o que aumentou em mais 50s o seu tempo final, que ficou em 164s71. Se não tivesse o desconto da porta que não passou, a mato-grossense terminaria a prova na quarta colocação na final. Com a marca na última descida, essa foi a melhor campanha da canoagem slalom brasileira em Jogos Olímpicos, quando o Brasil tem as medalhas de Isaquias Queiroz na canoagem de velocidade.

O pódio desta edição foi formado pela australiana Jessica Fox (105s04), seguida por Mallory Franklin (108s68), da Grã-Bretanha, e pela alemã Andrea Herzog (111s13).

Era grande a expectativa de Ana Sátila conquistar medalhas em Tóquio, isso porque na semifinal, entre 18 atletas que disputavam uma das dez vagas na decisão, a canoísta brasileira teve o terceiro melhor tempo ao marcar 114s27 na sua descida, que aconteceu sem penalidades. Esta foi a terceira Olimpíada da mato-grossense de coração.

Nas redes sociais, Sátila agradeceu a torcida dos brasileiros e pediu desculpas pelo erros. Ela afirmou também que deu o seu melhor nas provas e lamentou não voltar para casa com medalhas olímpicas. Mesmo sem, a atleta disse estar na torcida por todos os brasileiros que ainda estão disputando os Jogos de Tóquio.

Veja a mensagem da atleta

Ainda sem palavras mas tenho muito a agradecer a cada um que torceu. Vocês são incríveis!!! Peço desculpa por não ter conseguido dar o meu melhor hoje, eu lutei até o final e coloquei tudo que eu podia na minha performance, infelizmente não aconteceu como eu queria.

Agradeço muito ao meu treinador e companheiro Mathieu Desnos que esteve ao meu lado nos melhores e piores momentos, sem medir esforços para me ajudar na minha jornada olímpica. Muito obrigada a minha família incrível que sempre esteve e estará ao meu lado, meus patrocinadores, apoiadores, comitê olímpico do Brasil, confederação brasileira de canoagem e todos que estiveram ao meu lado durante essa caminhada.

Termino a minha campanha olímpica como a primeira mulher brasileira da história a participar de uma final nos jogos olímpicos, primeira de muitas, se Deus quiser.

Continuarei na torcida por cada brasileiro aqui no Japão! Que venha muitas medalhas!!! 🇧🇷🇧🇷

Agora, Mato Grosso segue com quatro atletas que estão representando o Estado nas Olimpíadas. São eles: Haline (rugby sevens), Almir Júnior (salto triplo), Bruna Benites (futebol feminino) e Felipe Lima (natação).

 
 
 
Fonte: RD NEWS