A Delegacia Especializada de Defesa da Mulher (DEDM) de Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, realizou nesta semana diligências para averiguar mais uma informação sobre o possível paradeiro do garoto Samuel Victor Carvalho, desaparecido desde outubro de 2019.

A partir de informações recebidas de Campo Grande (MS), a equipe da DEDM de Rondonópolis passou a apurar os fatos e solicitou apoio da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, que realizou diligências no local para a verificação do endereço levantado.

No entanto, após a checagem, foi constatado que a informação não procedia e não se tratava do menino desaparecido em Rondonópolis.

A Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Rondonópolis informou que o inquérito policial sobre o caso continua em andamento. Nas investigações, foram ouvidas diversas testemunhas sobre os fatos, incluindo vizinhos, familiares, conhecidos da igreja que a vítima frequentava, profissionais da escola onde o menor estudava.

Também foram realizadas medidas de Polícia Judiciária na tentativa de esclarecer os fatos, contudo até o presente momento não existem indícios da prática de outros crimes, portanto, a Delegacia da Mulher continua trabalhando com a hipótese de desaparecimento.

Todas as informações e denúncias em relação ao caso que chegam à delegacia são investigadas e checadas.

A Polícia Civil continua trabalhando no caso e conta com apoio da população com novas informações que possam auxiliar nas investigações. As denúncias podem ser feitas por meio do 197, ou pelo (66) 3423-1754 e WhatsApp (66) 9 9937-5462.

 

 

Desaparecimento

 

Samuel desapareceu em 20 de outubro de 2019. Segundo a avó, o neto estaria no quarto após pedir arroz-doce a ela. Quando ela foi até o cômodo, ele não estava lá. Ela notou o desaparecimento do neto por volta de 14h.

Lucineide contou que o neto tem hiperatividade, e que é possível que ele pulou o portão da residência quando ninguém estava olhando e se perdeu pelas ruas do bairro.

A mãe dele, Anelice da Silva, de 23 anos, supõe que o menino tenha pulado o muro para brincar na rua. Segundo ela, o filho costumava sair para rua e brincar com outras crianças, mas, no domingo, Samuel estava de castigo e, por essa razão, o portão da casa estava trancado.

Na época, um boletim de ocorrência foi registrado pela a avó. O caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada da Criança e Adolescente de Rondonópolis.

 
Fonte: G1 Mato Grosso