A babá de Henry Borel, Thayná de Oliveira Ferreira, prestou novo depoimento na 16ª DP (Barra da Tijuca), zona oeste do Rio, na segunda-feira (12). Desta vez, a ex-funcionária da casa de Monique Medeiros e Dr. Jarinho disse encontrou a ex-patroa dias após a morte do menino, que pediu que ela não contasse nada à polícia sobre as agressões que o menino sofria pelo padrasto.

Segundo o depoimento, obtido pela reportagem da Record TV Rio e do Portal R7, a babá diz que foi chamada por Thalita, irmã de Jarinho, para ir ao escritório do advogado do casal, André França, e que chegando lá, encontrou Monique. A mãe de Henry então teria dito que, se Thayná fosse chamada para depor, que era pra dizer que “nunca havia visto nada, que nunca havia ouvido nada e que era para apagar todas as mensagens”.

A babá disse que se sentiu intimidada porque Monique falou de forma “impositiva” e que apenas as duas estavam na sala naquela hora.

Em seguida, o advogado que defende Jairinho, André França, chegou na sala e insistiu para que ela desse entrevista para uma emissora de televisão até que ela concordou. França chegou com as perguntas que a babá deveria responder e com as respostas prontas. “Vão te perguntar sobre a relação entre Jairinho e Henry e você vai dizer que é boa, né?”, teria dito o advogado, segundo o depoimento.

Dias depois da entrevista, Thayná foi novamente procurada pela irmã de Jairinho. No encontro, Thalita pediu para a babá contar para ela o que sabia sobre as agressões, mas não a deixou concluir. Foi então que Thalita disse para Thayná que ela não poderia ser “juíza do caso do irmão dela” e que “menos é mais”.

 

Na ocasião, Thalita também perguntou se a babá tinha mensagens salvas no celular e disse que Monique havia apagado as conversas entre as duas. Thayná disse que não tinha o costume de apagar, mas que já havia excluído as mensagens entre ela e os patrões do aparelho.

Ao ser questionada porque mentiu no primeiro depoimento, Thayná disse que sentiu medo, já que por ter visto o que Jairinho fez com o enteado, ficou com receio de algo acontecer com ela ou com sua mãe, que ainda trabalha para a família do vereador.

Fonte: R7.com