O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) realizou uma operação nesta quarta-feira (7) para retirar garimpeiros da Terra Indígena Sararé, em Pontes e Lacerda, a 483 km de Cuiabá.

Os garimpeiros estavam em uma área de extração ilegal na terra indígena da etnia nambikwara.

Segundo os moradores da região, quando os fiscais chegaram os criminosos conseguiram fugir pela mata.

Na ação, os fiscais apreenderam sete máquinas escavadeiras, oito motores, duas motos e um quadriciclo.

Esses equipamentos que eram utilizados na logística do garimpo ilegal. Todos os veículos usados na atividade foram queimados por estarem sendo utilizados diretamente na prática do crime.

Nenhum suspeito foi preso.

 

Mortes

 

Dois garimpeiros foram encontrados mortos no garimpo ilegal no dia 2. A principal suspeita é de que os garimpeiros tenham sofrido acidente no local e morreram.

De acordo com a Polícia Civil, os garimpeiros foram identificados como Antônio Pereira da Silva, de 56 anos, e Paulo Roberto Alves Teixeira, de 35 anos.

Os corpos estavam às margens da ponte do Rio Sararé, a 45 km da cidade

A Delegacia de Pontes e Lacerda investiga o caso.

Uma perícia nos corpos deve apontar a causa da morte dos garimpeiros.

 

Garimpo foi alvo de operação duas vezes

 

 

Em março deste ano a Polícia Federal realizou a segunda fase da Operação Alfeu para desocupar o garimpo ilegal de ouro no interior da Terra Indígena Sararé.

A desocupação foi determinada Justiça de Cáceres e foi feita por 50 policiais federais e 110 militares do Exército Brasileiro.

Em maio do ano passado, a Polícia Federal realizou a primeira fase da Operação Alfeu no mesmo local. Após a retirada das forças policiais, os garimpeiros invadiram novamente a área.

Fonte: G1 Mato Grosso