Pela primeira vez em 27 anos, o governo brasileiro votou, na Assembleia Geral da ONU , a favor do embargo econômico, comercial e financeiro a Cuba , promovido pelos Estados Unidos desde 1962. A mudança de posição brasileira, antecipada pelo GLOBO em outubro , partiu do presidente Jair Bolsonaro e faz parte da política de alinhamento com Washington e de pressão contra o regime socialista da ilha caribenha.

Neste ano, o texto foi aprovado por 187 votos a favor, 3 contra e 2 abstenções. Além do Brasil, votaram pela manutenção do embargo Estados Unidos e Cuba. Colômbia e Ucrânia se abstiveram. Em 2018, apenas EUA e Israel haviam votado pelo bloqueio, com abstenções da Ucrânia e da Moldávia.

Painel de votação mostra votos contra de Brasil, Israel e EUA e abstenções de Colômbia e Ucrânia Foto: Reprodução / ONU
Painel de votação mostra votos contra de Brasil, Israel e EUA e abstenções de Colômbia e Ucrânia Foto: Reprodução / ONU
Fonte: G1