Polícia Civil de Paranatinga encontrou nesta quarta-feira (7) o corpo de Kauã Vinícius de Jesus Dourado, 17, que estava desaparecido desde o dia 1º. Ele foi morto pelo padrasto, de 42 anos, que confessou o crime aos policiais e apontou o local onde ocultou o corpo do menor. Para disfarças o crime, inventou que ele estava negociando a compra de uma moto e até envolvimento com uma facção criminosa.


De acordo com as informações, Kauã trabalhava em um restaurante da cidade e desapareceu na tarde do dia 1º após sair de casa junto com o padrasto para comprar uma motocicleta.

 

Ele estava negociando a compra e iria efetuá-la na praça central da cidade. Essa foi a versão apresentada pelo suspeito no dia da confecção do boletim de ocorrência sobre o desaparecimento do jovem.

Mas, durante as investigações, a história não batia. Depois de 7 dias, ele confessou aos policias o crime. Disse que atraiu o rapaz afirmando que compraria uma moto para ele, mas, o levou para um local afastado da cidade e o matou com tiros de arma de fogo, e em seguida, enterrou seu corpo.

 

Em diligências, os investigadores da Polícia Civil encontraram o corpo enterrado na zona rural da cidade, que fica 15 km entre Paranatinga, em uma localidade conhecida como Bica d'Água.

 

Reportagem do GD entrou em contado com a Polícia Civil da cidade, mas não obteve retorno. O autor do crime segue preso e vai responder por homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

Fonte: Gazeta Digital