No comando do Conselho de Ética, Jayme Campos pediu parecer da Advocacia do Senado sobre a representação de Flávio Bolsnaro contra Renan Calheiros .E o que isso significa?
Embora não seja obrigatório, enviar representações para os advogados da Casa se tornou a praxe de Jayme Campos desde que assumiu o Conselho de Ética na presidência de Davi Alcolumbre. Foi o que fez, por exemplo, com as representações contra o próprio Flávio Bolsonaro, apresentado em fevereiro de 2020, e Chico Rodrigues, ex-líder de governo flagrado com dinheiro na cueca.

De lá para cá, nenhum dos dois casos andou. No acompanhamento deles pelo site do Senado, eles aguardam... pareceres da Advocacia.
Aliás, Jayme Campos segue presidente do Conselho de Ética, porque Rodrigo Pacheco ainda não convocou a reunião de instalação do colegiado em seu mandato. Resolução que trata do Conselho de Ética diz que eles têm mandato de dois ano e que cabe à Mesa providenciar, "durante os meses de fevereiro e março da primeira e da terceira sessões legislativas de cada legislatura, a eleição dos membros do Conselho".

Fonte: Folhamax